Slide

sábado, 2 de abril de 2016

Pensando Bem - A Razão da Loucura


Olá pessoas! Sentiram minha falta? Eu sei que sim! Também senti muito a falta de vocês. Estou na reta final para a primeira etapa do Exame de Ordem e muito em breve poderemos voltar a nossa rotina normal. Hoje, após uma súbita inspiração, escrevi uma reflexão e como era meu dia (madrugada já! Ops!) de postar, invadi novamente essa coluna! (Perdão Caio, nós te amamos! <3). Espero que gostem!


A Razão da Loucura

Contestar o óbvio, amar o absurdo, nadar contra a corrente, enxergar o que ninguém mais vê e tentar fazer daquilo uma verdade absoluta... Características muito próprias de mim. Acontece que meu coração é deveras sincero e perseverante diante das desventuras da vida.

Tudo bem se eu quiser lutar contra moinhos de vento. Porque não há mal algum em perder uma batalha, desde que eu não a tenha perdido para mim mesma. Eu não conheci Dom Quixote de La Mancha, nem mesmo li suas aventuranças, confesso! Mas sua essência me inspira a não desistir do meu desejo e saber (ainda que imaginário) que chamam de loucura. Que tipo de pessoa seria eu se decepcionasse o sábio (louco) Dom Quixote?

Tropeçar nos degraus da vida faz parte da subida. E não é por ter medido de forma equivocada a altura que aquele degrau terá perdido o seu valor, muito menos o pé de quem caiu.

Porque se por um lado acreditar é um risco, se arriscar é um dom. Trazendo a baila os dizeres de Chaplin, outro sábio (louco?): “o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito para ser insignificante.” Que seria a vida (além de insignificante) se racionalizássemos coisas e sentimentos que são avessos a razão? Se reprimíssemos a ousadia de nossos corações e os impulsos de nossos sentimentos, quanto não perderíamos da vida?

 A verdadeira loucura e não crer. É deixar de dar um passo a mais por causa da incerteza, do medo do que já deu errado, e do desconforto de experimentar o novo, e do medo do que perder se o novo der certo. Loucura, é a razão, nossa amiga de percurso, em lugar de andar ao nosso lado nos impedir de dar um passo a mais. Loucura é reprimir a ousadia inerente do espírito de quem se atreve a viver.


Se lutar pelas causas perdidas me faz louca como Dom Quixote, é isso que eu quero ser. Uma louca que acreditou, se atreveu e se houver perdido, não foi por falta de fé ou por passividade diante dos dragões moinhos.


Espero que tenham gostado!

Beijos....
Até a próxima!


12 comentários:

  1. Sim, tropeçar nos degraus da vida, faz parte sim da subida, mas é sempre necessário mantermos os pés no chão para o tropeço não ser tão dolorido...
    O primeiro passo e a incerteza sempre estarão lado a lado, nem sempre é fácil decidir, mas sempre conhecemos nosso sonhos.

    Beijo, Vanessa Meiser - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém precisa ter medo da dor, é ela que nos molda e faz mais fortes.

      Excluir
  2. Que texto lindo! Me fez refletir muito aqui...
    Acho que deixamos de fazer muita coisa por ter medo de dar errado, mas como saberemos se não fizermos?
    Adorei a frase do Chaplin “o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito para ser insignificante.” não conhecia!
    Parabéns pelo texto!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Muito legal esse seu texto... loucura é uma coisa muito relativa mesmo, né? Se loucura é sair dos padrões, é lutar pelo que se acredita, prefiro ser louca. O medo é o maior inimigo do ser humano, e a vida se torna muito sem graça quando alguém se deixa dominar por ele e desiste de mudar, de arriscar.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é a essência da reflexão! Beijos...

      Excluir
  4. Oi Karol.

    Gostei bastante do seu texto. Concordo com você quando citou " Tropeçar nos degraus da vida faz parte..." Realmente faz parte, para o ser humano aprender com seus próprios erros e resgatar seus valores que ás vezes é esquecido.Por isso não pode ter medo de nada, porque é com os erros que alcançamos a aprendizagem.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Amei seu texto, muito lindo e bem escrito, parabéns! E concordo que loucura é não se arriscar, desistir porque uma vez não deu certo, isso pra mim é não viver plenamente. A vida é correr riscos, ter experiências novas e ser feliz!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  6. Oiee Karol ^^
    Eu também não cheguei a ler Dom Quixote de La Mancha, mas acho a história interessante, e a forma como o protagonista age e pensa também. Mesmo ele sendo piradinho...hehe' Realmente, a verdadeira loucura é não crer. Se não acreditarmos em nós mesmos, quem o fará?
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Adorei seu texto Karol!
    A dor nos torna mais fortes, cair e levantar sempre!
    Beijos!

    Cintia
    http://www.devaneiosdeumacindy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oieeee
    Nossa que texto lindo, eu mesma já deixei de fazer várias coisas por medo é quando finalmente me dei a oportunidade de superar esse medo, mesmo com riscos, senti uma enorma felicidade, então posso dizer que mesmo que algo machuque, temos que tentar.
    Beijão

    ResponderExcluir
  9. Gente do céu, amei esse texto!
    Quantas frases de efeito. De fato, eu sou uma dessas pessoas que tem que parar de ter medo do que será, e do medo do que perderei se for bom o que virá (olha, até rimou kkkk)
    Se arriscar é um dom...
    Adorei, adorei, adorei o texto. De verdade. Parabéns!

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir

Leia e Comente, sua opinião é muito importante para mim. Caso encontrem algum problema avisem.

Cliquem em "Notifique-me" para saber quando for respondido.

* Os comentários que possuírem link de algum blog terão a visita retribuída